A corda e o boi

corda

 Certa vez ouvi uma estória simples, porém de grande valor.

Conta-se que certo homem foi à igreja para confessar o furto de uma corda ao padre. Notadamente percebendo o homem desconfortável com a situação, o homem de fé lhe disse:

– Rapaz, sua atitude não foi legal, entretanto, não se martirize tanto. Se arrependa, vá para casa, reze vinte “Pais Nosso”, devolva a corda e não faça mais isso.

O moço foi embora, muito desconcertado.

No dia seguinte, volta o “pecador” à igreja e desta vez, com o semblante mais caído ainda, ao que o padre lhe indaga:

– Meu bom homem, o que há ainda com você, não fez o que lhe indiquei?

Ao que o jovem lhe responde:

– Sabe seu padre; é que não te disse ontem que na ponta da corta tinha um boi.

Embora seja uma ilustração, reflete muito bem alguns setores da nossa vida. Há situações que omitimos ou mentimos para as pessoas vivendo uma vida dupla, ou o maior engano que é o de mentirmos para nós mesmos, construindo um mundo irreal, frágil e que traz muitas frustrações.

A frase dita por boa parte da população “meias verdades” é um ledo engano que em determinado momento será revelada uma mentira inteira, afinal, já dizia Antonio Machado: “Você contou uma meia verdade? Dirão que você mente duas vezes se contar a outra metade.”

Livre-se dos pequenos enganos, liberte-se das mentirinhas que numa hora, mais cedo ou mais tarde lhe trarão ruína.

Cresça e apareça com aquilo que realmente lhe pertence – sua dignidade.

Cordialmente,

Lúcio Reis – Prof.