Um pé em cada barco

Dois barcos na areia

 Um pé em cada barco? Parece estranho mas é a realidade de muitas pessoas.

       Na busca por um melhor posicionamento no mercado, ou por simplesmente abandonar as tarefas pela metade, as pessoas vão se posicionando em muitos negócios e não se especializam em nada, ou pior, são especialistas em deixar as coisas pela metade.

        Por vezes ficam se equilibrando com um pé em cada barco e gastando toda sua energia para se equilibrar a fim de tirar algum proveito, só que chega o momento que precisarão escolher em qual barco vão ficar, afinal uma hora, esses barcos terão que tomar caminhos opostos. Muitos ainda durante essa indecisão da escolha da embarcação incorrem no erro de ficar parados muito tempo no mesmo lugar escolhendo em qual deles deverão ficar e paralisam suas vidas.

       Confuso não é mesmo? Eu sei bem o que é isso. Muitas vezes fui tachado como “o que deixa tudo pela metade” ou “o que anda por muitos caminhos e não chega a lugar algum”. Não se preocupe com isso, se te serve de consolo, Thomas Edison disse o seguinte: “Eu não errei 10 mil vezes. Eu apenas encontrei 10 mil jeitos que não funcionam”. O problema é não sair desse ciclo vicioso, esse é o problema.

       Via de regra ao escolher um dos barcos, você poderá  até cair dele e voltar a subir, mas terá todo esforço concentrado em evoluir, fazer o caminho, criar uma nova história e não usar toda a energia para manter os dois barcos.

      Percebe como isso é poderoso? Novamente caímos no que todos os coaches dizem em suas palestras, no final, tudo passa pela decisão de mudar. E o que sempre digo aos meus alunos ou em minhas palestras: (DDD) Decisões, Decidem Destinos.

     Tenha coragem, decida por um barco e gaste todas as suas forças em apenas um deles e faça o melhor. Se posso te ajudar, escolha pelo que mais te agrada e que traga alegria pessoal. Não opte simplesmente pelo que poderá ganhar monetariamente naquele momento. O ganho é uma questão de tempo, a satisfação pessoal e paz interior são todo tempo.

 

Com carinho,
Lúcio Reis, prof.